sexta-feira, 24 de julho de 2015

Outros acontecimentos para o dia 24 de julho:


DIA DO RETORNO DA VIAGEM À LUA - Os Estados Unidos haviam gasto US$ 25 bilhões, mas, além de vencer a corrida espacial contra os soviéticos, haviam cumprido a promessa feita em 1961 pelo presidente John Kennedy: a de realizar algo grandioso, que conquistasse o coração dos povos. A chegada do homem à Lua foi a maior das aventuras e o maior feito tecnológico de todos os tempos. Os riscos eram tão altos que, pelos critérios de segurança atuais, provavelmente a viagem não teria sido autorizada. Embora os resultados científicos da missão tenham sido modestos e outros 10 homens tenham pisado o solo lunar até o final do Projeto Apollo, em 1972, nada pode ser comparado à força simbólica daquele passo. Quem pilotava a nave, na verdade, eram as leis da física, segundo a qual astros celestes atraem corpos como imãs. Assim, os foguetes da Apollo 11 foram acionados durante apenas três minutos, tempo suficiente para fazer a nave escapar do campo gravitacional da Terra e ser atraída pela da Lua. O procedimento foi repetido na viagem de volta. Finalmente, no dia 24 de julho, Armstrong, Aldrin e Collins mergulhavam no sul do Pacífico, encerrando um dos maiores capítulos da história da humanidade. Depois de oito dias no espaço, estavam loucos por um banho.


O LibertadorEm 24 de julho de 1783, nasce o militar e político venezuelano Simón Bolivar. Desde 1813, ele se torna o condutor da revolução que culmina com a independência da América do Sul, motivo pelo qual é conhecido como o Libertador. Bolívar viaja por diversos países da Europa e, em 1819, cria a República da Colômbia.
O culto a Bolivar
É difícil encontrar uma cidade venezuelana que não tenha sua Praça de Bolívar com um monumento alusivo ao Libertador. A moeda nacional leva seu nome, sua imagem aparece em selos, camisetas ou peças de cerâmica, e seus discursos e proclamações estão onipresentes na vida política do país. Algo similar ocorre com as avenidas, ruas ou parques em núcleos urbanos daqueles países que Bolívar libertou: Colômbia, Equador, Peru e Bolívia (país batizado assim em sua honra). Tudo isso forma parte do culto a Bolívar, um fenômeno estendido desde o século XIX até nossos dias que exalta a devoção apaixonada pelo herói da independência e seus ideais.
história popular venezuelana e muitas biografias apresentam a Simón Bolívar  como um superhomem, uma espécie de semideus capaz de qualquer proeza, e incluso como o protótipo do macho iberoamericano. Estudar sua figura é complicado porque o que dele se escreve está frequentemente exagerado pelo sentimento nacionalista.
Simón Bolívar, o caçula de quatro filhos, pertencia a uma rica família ‘criolla’*de origem vasca instalada perto de Caracas já no século XVI. Seus pais faleceram e a partir de então foi tutelado por diferentes familiares. Assim conheceu Simón Rodríguez, um pedagogo que propugnava as teorias de Rousseau e que se ocuparia da formação de Bolívar. Rapidamente manifestou-se sua vocação militar, e sendo subtenente de milícias realizou uma viagem pela Europa a partir de 1799. Estudou em Madri e conheceu María Teresa Rodríguez del Toro y Alaiza, que seria sua esposa e que faleceu apenas oito meses depois do matrimonio. Esta morte coloca-o no caminho da política. 
*criollo – Nome dado aos filhos de espanhóis nascidos na América

 1567 - Mary Stuart, rainha dos escoceses, é forçada a abdicar.

1783 - Nasce Simón Bolivar, "o libertador", militar e político venezuelano.

1801 - Assassinato do czar Paulo I, da Rússia.

1802 - Nasce Alexandre Dumas, novelista e dramaturgo francês.

1823 - Batalha naval de Maracaibo, com vitória do almirante colombiano José Padilla, que garantiu a independência da Venezuela.

1823 - Uma lei declara livre todos os escravos do Chile e todos os que pisem no território nacional, fazendo com que este país seja o primeiro da América a libertar os escravos.

1828 - Simón Bolívar se torna ditador na Venezuela, por decreto da Assembléia Nacional.

1833 - Dom Pedro I do Brasil toma Lisboa de seu irmão, Dom Miguel.

1870 - Nasce Alphonsus de Guimarães, poeta simbolista brasileiro.

1895 - Nasce Robert Graves, escritor britânico.

1911 - Descobrimento da cidade inca de Machu Picchu, em Cuzco, pelo norte-americano Hiram Bingham.

1912 - A Mongólia se converte em protetorado russo.

1917 - Mata-Hari, dançarina holandesa que ficou conhecida em toda a Europa por se apresentar nua no início do século XIX, comparece frente a um tribunal militar, que a condena à morte por espionagem.

1928 - A China adota o sistema métrico decimal.

1928 - Fim oficial do movimento do general César Augusto Sandino contra a intervenção norte-americana na Nicarágua. No entanto, a luta guerrilheira não terminou nesta data.

1931 - Explode um movimento contra a ditadura chilena do general Carlos Ibáñez, que acabou destituído do poder.

1934 - Nazistas que queriam a unificação entre a Áustria e a Alemanha assassinaram o chanceler austríaco Engelbert Dollfuss 

1936 - Guerra Civil Espanhola: a Junta de DRedação Terrasa Nacional determina que Franco assuma o comando do Exército do Marrocos e do Sul da Espanha, e Mola, o do Exército do Norte.

1941 - Choques armados na fronteira entre Peru e Equador. Os peruanos reivindicavam os territórios de Túmbez, Jaén e Maynas.

1943 - O Grande Conselho Fascista italiano aprova a retirada de Mussolini e pede que o poder volte à Coroa.

1943 - Segunda Guerra Mundial: os aliados iniciam intensos bombardeios aéreos (seis dias) contra Hamburgo.

1946 - Abertura da Conferência de Paz, em Paris, na qual se discutem tratados prévios com Itália, Romênia, Bulgária, Hungria e Finlândia.

1951 - Morre Abdulá, rei da Jordânia.

1953 - Walter Ulbricht torna-se primeiro-secretário do partido do governo da Alemanha comunista. Para o político, este é um passo decisivo a caminho da chefia de Estado.

1962 - A Rede Globo e a americana Time Life assinam um acordo para a instalação de uma emissora de TV no Rio de Janeiro.

1966 - Uma bomba explodiu no aeroporto de Recife, onde pousaria o avião do marechal Costa e Silva, candidato à sucessão do presidente Castello Branco 

1967 - Em visita ao Canadá, o presidente Charles De Gaulle, da França, defendeu a independência do Quebec. A visita foi encerrada pelo primeiro-ministro canadense 

1972 - O "Patinho Feio", primeiro computador projetado e construído no Brasil, é colocado em funcionamento na Escola Politécnica da USP.

1974 - Constantino Karamanlis assume o cargo de primeiro ministro da Grécia, após o abandono do general Phaedon Ghizikis, chRedação Terra do governo dos coronéis.

1976 - Uma nuvem de gás letal, a dioxina, escapa do complexo químico de ICMESA, causando uma catástrofe ecológica em Seveso (Itália), próximo de Milão. Os 15 mil habitantes têm que deixar a cidade

1978 - Nasceu, na Inglaterra, Louise Brown, o primeiro bebê de proveta

1980 - O comediante inglês Peter Sellers morreu aos 54 anos vítima de um ataque cardíaco

1986 - Gustavo Arias Londono, principal líder do grupo guerrilheiro M-19, morre sob a custódia da Polícia do departamento de Caldas, em Medellín (Colômbia).

1987 - Um Congresso Universal de Esperantistas comemora em Varsóvia o primeiro centenário desta língua, criada pelo doutor polonês Ludwik Lejzer Zamenhof.

1990 - O Iraque envia 30 mil soldados para a fronteira com o Kuwait, enquanto os EUA decretam o estado de alerta para sua frota nas águas do Golfo Pérsico.

1991 - Morre Isaac Bashevis Singer, escritor norte-americano de origem polonesa, Prêmio Nobel de 1978.

1992 - O Rei da Espanha encerra em Madrid a II Cúpula Iberoamericana, que coincide com o V Centenário do Descobrimento da América. Os preceitos de "compromisso com a democracia representativa, respeito aos direitos humanos e às liberdades fundamentais" são reafirmados.

1994 - O partido Sinn Fein, representante do Exército Republicano Irlandês (IRA), reúne cerca de 500 integrantes na Irlanda do Norte para discutir o acordo de paz proposto pela República da Irlanda e pelo governo britânico.

2000 - O governo britânico inicia a libertação de 87 presos do IRA, condenados por múltiplos assassinatos, em aplicação do Acordo de Paz de Ulster.

2000 - o Partido Comunista do Chile apresenta a acusação número 148 contra Augusto Pinochet, pelo desaparecimento de 137 de seus militantes, após o golpe de 1973.

2001 - O ex-militar paraguaio Napoleão Ortigoza é indenizado pelo Estado em US$ 1,8 milhões, por haver passado 25 anos na prisão, durante o regime de Alfredo Stroessner.


 Curiosidades:

Ano:2015
Década:2010
Século:XXI
Milênio:

(24 de Julho) é o 205.º dia do ano no calendário gregoriano (206.º em anos bissextos). Faltam 160 dias para acabar o ano.

CARLOS GOMES

O Maestro Ir.'. Antonio CARLOS GOMES, é uma das maiores figuras da Música Latino-Americana, e o primeiro compositor brasileiro que obteve grande sucesso, primeiro na Itália e, depois, em toda a Europa. Nasceu em 11 de julho de 1836, neste ano portanto comemora-se o centissexagésimo aniversário do seu nascimento, na Cidade de Campinas, no Estado de São Paulo, filho de Manuel José Gomes, mestre de música na então Vila Real de Campinas, com quem Carlos Gomes, ainda menino, iniciou-se na arte musical.

Até pouco mais de 20 anos, junto com seu irmão Manuel de Sant’Ana Gomes, realizou festivais e concertos em sua cidade natal. Por esta época, já compunha músicas religiosas, fantasias e romances, desta época de sua juventude, destacamos a canção romântica “Quem Sabe?”. Em 1860, deixou São Paulo e veio ao Rio de Janeiro, com o objetivo de solicitar ao Imperador, D. Pedro II, os meios para ingressar no Imperial Conservatório de Música, hoje Escola Nacional de Música da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, dirigido na época pelo Maestro Francisco Manuel da Silva. Depois de um ano no Conservatório, montou sua primeira ópera “A Noite do Castelo”, libreto (argumento ou letra da ação de uma ópera) de Fernando dos Reis, no Teatro da Ópera Nacional do Rio de Janeiro. Ainda no Brasil, em 1863, montou sua segunda ópera “Joana de Flandres”, libreto de Salvador de Mendonça. Devido ao seu grande talento, o Imperador enviou-o à Itália para estudar no Conservatório de Milano, onde se formou “maestro compositore” em 1866. Sua consagração aconteceu quatro anos depois, em 1870, com a ópera “O Guarani”, libreto do poeta Antônio Scalvini, baseado no romance de José de Alencar. A ópera montada no Theatro La Scala de Milano, foi aplaudida pela crítica e pelo público e em várias versões tem sido montada nas principais salas de espetáculos do mundo. Autor de magistrais obras musicais, suas óperas principais são além de “O Guarani”, “Fosca”, “Maria de Tudor”, “Salvador Rosa” e “O Escravo”. O Maestro Antonio CARLOS GOMES morreu pobre, em 16 de setembro de 1896, sendo este ano, portanto, o centenário de sua morte. Apesar de sofrer duras campanhas por haver vivido na Itália, no fim de sua vida foi nomeado diretor do Conservatório do Pará, mas, já doente, não conseguiu elevar aquela escola musical ao padrão que desejava.